Pular para o conteúdo
Voltar

Mais de 200 professores participam de formação sobre neurociência na educação

Debate central foi o processo de Ensino e Aprendizagem dos estudantes com dificuldades de aprendizagem, transtornos e deficiência
Adilson Rosa | Seduc MT

Divulgação
A | A

Cerca de 230 profissionais da Educação das redes estadual e municipal de ensino de Alta Floresta (a 803 quilômetros ao norte da Capital) receberam formação para aprimorar os conhecimentos pedagógicos. O debate central foi o processo de Ensino e Aprendizagem dos estudantes com dificuldades de aprendizagem, transtornos e deficiência.

O evento ocorreu na última quinta-feira (07.06), na sede do Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica (Cefapro) do município, e teve como temática principal as contribuições da neurociência no processo de ensino e aprendizagem.

Segundo a diretora do Cefapro, Edileuza Maçaneiro, a formação faz parte das ações formativas do núcleo de formação de Educação Especial, lembrando que esse projeto contempla três dimensões, sendo essas: professores da sala de recurso multifuncional, professores de sala regular e equipe gestora das unidades escolares das redes estadual e municipais, dos sete municípios que compõem o polo do Cefapro.

A formadora de Educação Especial Nilcéia Frausino e o coordenador de formação Clailton Lira Perin ressaltam que o tema foi de fundamental importância para que os professores saibam como intervir no caso dos alunos que apresentam dificuldades no processo de ensino e aprendizagem. “Foi um momento em que todos colocaram as questões encontradas em sala de aula. Uma troca de experiência”, explicou Nilcéia.

Para professor formador Djalma Ramires, responsável pelos trabalhos, a formação foi positiva, visto que houve o envolvimento dos participantes, sendo assim, espera-se que essas práticas sejam aplicadas no interior das unidades escolares. “Muitas vezes, em nossa profissão nos deparamos com grandes dificuldades em relação ao aprendizado ou ao comportamento dos alunos”, assegura.

Participantes

A coordenadora Pedagógica de Carlinda, Fabiana Simonato, elogiou a formação. Ela explica que foi possível esclarecer alguns fatores que levam a vários problemas. “Com isso, estamos revendo nossos planos e atitudes frente a estes desafios”, destaca.

Quem também avaliou positivamente a formação foi a chefe do departamento pedagógico da Secretaria Municipal de Educação de Alta Floresta, Erni Inez Limberger Battirola. “O encontro proporcionou importantes conhecimentos referentes ao funcionamento cerebral, o que, automaticamente, nos propiciou informações de como o aluno aprende”.





Editorias