Pular para o conteúdo
Voltar

Muxirum acelera capacitação dos alfabetizadores

Tudo para que no início de maio esteja pronto para receber os alfabetizandos
Adilson Rosa | Seduc-MT

Junior Silgueiro/Seduc MT
A | A

Em ritmo acelerado, o Programa Muxirum da Alfabetização, da Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Seduc), realiza três encontros de capacitação dos alfabetizadores e coordenadores de cinco municípios. Tudo para que no início de maio esteja pronto para receber os alfabetizandos que aguardam o início das aulas. Serão seis meses do curso que propõe o letramento dos adultos, sendo a maior parte na zona rural.

 

Na última quarta-feira (11.04), a equipe esteve em Jangada (cidade a 80 quilômetros ao norte da Capital) para apresentar aos alfabetizadores o método construtivista do educador Paulo Freire, que trabalha com palavras-chaves retiradas da realidade do aluno.

 

“A metodologia do Paulo Freire é importante, fácil de assimilar, mas o importante é discutir o tempo que o aluno tem para os estudos, a disponibilidade dele. São turmas pequenas e, por isso, fácil de atender”, destaca Abílio Camilo Fernandes, da equipe do Programa Muxirum da Alfabetização. Em Jangada, foram formadas, 35 turmas de alfabetizandos.

 

Nesta sexta, a equipe se desloca até Nobres (a 146 quilômetros ao médio-norte) para a habilitar os alfabetizadores e coordenador. No município, foram formadas 35 turmas, na primeira etapa.

 

No sábado, a capacitação será em Campo Verde (a 131 quilômetros ao sul de Cuiabá), onde serão agregados alfabetizadores e coordenadores de mais dois municípios vizinhos – Chapada dos Guimarães e Nova Brasilândia de um total de 63 turmas.   

 

Para o secretário adjunto de Política Educacional, Edinaldo Gomes de Sousa, o Muxirum é um programa importante porque traz dignidade à pessoa que até a pouco tempo estava na escuridão do letramento. “São pessoas que tiveram esse direito negado e, com o Governo voltado para o social, oferta a essas pessoas, um direito fundamental, que é a educação”, destaca.

 

Ele acrescenta que, com isso, haverá autoestima para a pessoa que ganha autonomia, pois poderá tirar documentos, analisar uma conta, ler uma história para os netos.

 

“Para quem quiser continuar os estudos e, quem sabe, chegar à uma universidade ou faculdade, oferecemos a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Fazemos votos para quem terminar o Ensino Médio, que consiga fazer um curso superior”.

 

O secretário lembra que, embora o Muxirum tenha um tempo reduzido, não perde na qualidade de ensino.





Editorias