Pular para o conteúdo
Voltar

Governo finaliza obra de reforma da Escola Estadual Marechal Cândido Rondon

A obra de reforma, que estava paralisada, foi retomada pelo Governo do Estado em 2019. Para tanto, está sendo investido R$ 1,7 milhão
Rosane Brandão | Seduc-MT

A obra de reforma estava paralisada e foi retomada em 2019 - Foto por: Christiano Antonucci
A obra de reforma estava paralisada e foi retomada em 2019
A | A

Após oito anos de espera, finalmente a comunidade de Coqueiral Quebó, localizada no município de Nobres (a 146 quilômetros de Cuiabá), poderá desfrutar da tão sonhada reforma da Escola Estadual Marechal Cândido Rondon. A obra de reforma, que estava paralisada, foi retomada pelo Governo do Estado em 2019 e deve ser finalizada no próximo mês.

Com investimento de R$ 1,7 milhão, a obra contempla adequação da cobertura com substituição das telhas de cerâmica por termoacústicas, substituição da estrutura de madeira por metálica, troca de todo o piso, pintura, reforço estrutural, recuperação do piso, polimento e pintura da quadra poliesportiva, adequações das instalações hidrossanitária e reforma geral das instalações elétricas, construção de poço artesiano e de nova fossa séptica. 

A escola é composta por oito salas de aula, biblioteca integradora, sala multifuncional, sala de música, parte administrativa, banheiros, cozinha e refeitório. Toda a escola recebeu adaptação de acessibilidade.

A escola atende 380 alunos, do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do 1º ao 3º ano do ensino médio e educação de jovens e adultos (EJA).

A unidade de ensino foi construída em 2011, mas no ano seguinte começou a apresentar problemas na estrutura e o prédio precisou ser interditado. Desde então a comunidade aguarda pela entrega do prédio em condições dignas.

Conforme o diretor da escola, Danilo Domevil, em menos de um ano da construção, vários problemas ocorreram, como a fossa séptica que desbarrancou, o telhado e o forro começaram a ceder, além das panes elétricas. "Isso tudo causou muito desgosto para a comunidade, ou seja, o sonho virou pesadelo”, declarou o diretor.

Em 2016, a reforma até chegou a ser retomada para a obra ser refeita, o que aumentou a expectativa da comunidade, porém, voltou a ser paralisada durante a operação rêmora. “Ouvimos muitas promessas, o que deixou nossa comunidade esperançosa, mas o tempo passou e nada aconteceu”.

Por fim, a obra só foi retomada no ano passado e agora está prestes a ser concluída. “Nossos alunos ficarão mais motivados a frequentar a escola, pois vão saber o que é estudar em uma escola com banheiros limpos e descentes, em uma sala com ar-condicionado e carteiras boas, uma quadra de esporte, que era um dos principais anseios deles, ou seja, uma escola com espaço adequado e digno para atender a todos, tanto alunos, como os profissionais da educação”.

Segundo dona Anaíde Costa Pedroso, o filho Vítor Hugo Pedroso, aluno do 1º ano do ensino médio, está ansioso para estudar na escola nova. “Ele estuda aqui desde o sexto ano e sempre ficou em salas improvisadas. Mas agora, acredito que a escola, que já tinha um ótimo ensino e bons profissionais, vai melhorar ainda mais”.





Editorias