Pular para o conteúdo
Voltar

Encontro formativo motiva alunos a organizar grêmio estudantil em suas escolas

A idéia de mostrar a diversidade existente na região e principalmente no país, partiu dos próprios alunos que providenciaram os trabalhos.
Adilson Rosa | Seduc MT

alunos atentos sobre a organização dos grêmios estudantis - Foto por: Assessoria
alunos atentos sobre a organização dos grêmios estudantis
A | A

Alunos de oito escolas estaduais de Cuiabá participaram nesta sexta-feira (29.10), do 1º Encontro Formativo de Estudantes e Gestores Sobre Protagonismo Estudantil. Além de estudantes, foram convidados gestores das escolas. O ponto central do debate foi a organização do grêmio estudantil na escolas sendo que três delas – EE André Avelino, Estevão Alves Correa e Eliane Digigov já têm o grêmio em funcionamento.

A EE Presidente Médici está desativado e a expectativa é que seja reativo no início do ano. O evento ocorreu no auditório da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

“As demais escolas vieram justamente para obter informações para organizar o grêmio estudantil em suas respectivas unidades escolares. A ideia é fomentar o protagonismo estudantil através do grêmio. E também fortalecer os que já existem. São seis escolas convidadas que participam do Programa Mediação Escolar e que ainda não possuem o grêmio”, destaca Patrícia Carvalho, do Núcleo de Projetos Especiais da Seduc.

Para o superintendente de Política de Educação Básica, Richard Carlos da Silva, além dos direitos, os alunos tem os deveres que é participação na escola. É através do grêmio que podem participar da gestão escolar. “É a responsabilidade que vai nos transformar em pessoas do bem”, destaca.

A diretora Márcia Proença, da EE Tancredo Neves, de Cuiabá, tem a expectativa de que o grêmio seja organizado em sua escola. Ela já fez uma explanação inicial, mas acredita que o encontro vai ajudar na decisão dos alunos. “É importante a participação dos alunos na gestão democrática. Nossos alunos querem ajudar no acolhimento, no lanche e principalmente nos projetos”, ressalta.

A expectativa da aluna Isadora Cristina, da EE Tancredo Neves, era a melhor possível. “Vamos sim, fazer o grêmio aqui na escola”, assegura. O colega dele, Anderson Ohenne, também torce para que a escola instale o grêmio estudantil “É uma ideia muito boa. O grêmio é um direito dos estudantes”.

O mesmo entendimento tem a aluna Larisse Kéllita, da EE Pascoal Ramos, explica que veio para o encontro para obter mais detalhes sobre a montagem do grêmio. “Queremos o grêmio ajudando a gestão da escola. Por isso, queremos saber como funciona”, explica.

Um dos palestrantes foi Vinícius Santos Fernandes, representantes dos estudantes no Conselho Estadual de Educação (CEE). Conforme Vinícius, são necessários cinco passos para a organização de um grêmio estudantl.

O primeiro passo é reunir uma comissão pró-grêmio. Em seguida, criar uma assembléia de estudantes para a criação do grêmio. O terceiro passo é que, se optar pela criação, será formada a comissão eleitoral. “O quarto passo é a eleição e por último, a posse. Os cargos diferem de uma escola para outra, mas geralmente, temos o presidente, o vice, tesoureiro, secretário geral, diretor de esportes, diretor de cultura. Vai depender de cada escola”, assinala.





Editorias